31/03/2016

Paulista: Polêmica em inaugurações de obras



Como todos os munícipes já perceberam, em Paulista já foi dada a largada da campanha de reeleição do prefeito Junior Matuto- PSB, há alguns meses. As obras que haviam começado há cerca de dois ou três anos, com promessas de entrega nos prazos entre três e seis meses, começaram a ter seu final no término do ano passado e, com intensidade no início deste ano.

Por ter passado quase todo o mandato sem dizer a que veio e os vereadores o apoiando, ele segue inaugurando PSFs  e calçando algumas ruas com dinheiro das emendas que chegam à  acidade. Por também não terem dito a que vieram, sem terem cumprido seu papel, os vereadores engalfinham-se com os pré-candidatos na disputa pelo apadrinhamento das tais obras. O mais exaltado  entre eles, é o presidente da Câmara , Iranildo Domício- PROS, quando o evento acontece nos bairros que ele tem como seu reduto eleitoral, ele dá o recado.

Assistam ao vídeo:



Paulista: Partidos inativos


Estamos a dois dias para o final do prazo de filiações partidárias , para quem deseja concorrer a um cargo eletivo de vereador , em todos os municípios brasileiros. Hoje, contamos com 35 partidos que obtiveram seus registros junto ao Tribunal Superior Eleitoral - TSE.

Diante do troca troca de Comissões Provisórias de algumas siglas , o TSE não consegue acompanhar as mudanças e, muitos presidentes , que preocupam-se mais em negociar as mesmas, esquecem de legalizá-las junto ao Tribunal. Em alguns casos, existem pendências de infrações ocorridas em outros pleitos.

Em Paulista, temos vários partidos inativos por diversas causas , tornando-os instáveis. No entanto, suas  filiações devem ser feitas através de seus Diretórios Estaduais, dentro do mesmo prazo.

Vejamos alguns deles:


Encontramos também, muitas siglas que estão em situação de estabilidade, onde seus presidentes não terão muito trabalho no desenrolar das filiações: PTN, PHS, PSDB, PSL, PC do B, PROS , dentre outros.

30/03/2016

Igarassu: O povo pede providências



As pessoas que necessitam de cuidados médicos no Loteamento Agamenon Magalhães em Igarassu e dirigem-se ao Posto de Saúde do Residencial Santo Antonio , que fica naquele local, estão se queixando do jeito "grosseiro e autoritário" do responsável pela Unidade de Saúde.

Elas dizem que apesar de ter uma coberta na frente do prédio,  ficam expostas ao relento, sujeitas a sol e chuva pois, o "Sr. Orlando" só libera a entrada para o local às 8:30h e, para conseguirem uma ficha para atendimento é necessário chegar às 5h. 

Todos querem que haja uma providência cabível, por parte da Secretaria competente.






Ex-presidente Lula divulga nota e diz ser vítima de ‘complô’


O Globo
O Instituto Lula divulgou nesta terça-feira uma ampla nota, em três idiomas (português, inglês e espanhol), para rebater as suspeitas levantadas contra o ex-presidente pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. No comunicado, Lula afirma ser alvo de um “complô”.
Lula argumenta que não é réu em nenhuma ação. “O ex-presidente Lula não é réu, ou seja: não responde a nenhuma ação judicial que o acuse de ter praticado algum crime. A denúncia apresentada contra ele por três promotores de São Paulo, notoriamente facciosos, a partir de um inquérito considerado ilegal pelo Conselho Nacional do Ministério Público, não foi aceita pela Justiça. Portanto, não há ação”, afirma o ex-presidente.
O ex-presidente reclama ainda de perseguição por parte dos investigadores e da imprensa. “Levar o ex-presidente Lula ao banco dos réus é, sim, o objetivo da plutocracia, do mass media e de agentes partidarizados da Polícia e do Ministério Público, que representam exceções dentro destas Instituições. Mas nenhum desses agentes apresentou uma acusação fundamentada para justificar a abertura de ação penal contra o ex-presidente. E não apresentou porque Lula sempre agiu dentro da lei, antes, durante e depois de ser presidente da República”

29/03/2016

A conta no PMDB: 3 ministros ficam e 4 saem

A conta no PMDB nesta terça-feira (29), é que a maioria pula fora do Governo até dia 12, entregando os cargos e os segundo escalões.
São eles Eduardo Braga (Minas e Energia), Helder Barbalho (Portos), Henrique Alves (Turismo), que já entregou a carta de demissão ontem, e Mauro Lopes, que acaba de assumir a Aviação Civil.
Peitam a Executiva nacional e continuam no cargo, e também no PMDB, os ministros Kátia Abreu (Agricultura), Marcelo Castro (Saúde) e Celso Pansera (Ciência & Tecnologia).
Do Coluna Esplanada

Senador Walter Pinheiro deixa o PT e não garante voto em Dilma


Um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT), o senador Walter Pinheiro entregou hoje sua carta de desfiliação à direção do partido e informou ao Tribunal Regional Eleitoral.
Pinheiro ficará sem partido e não será candidato a cargo eletivo nem este ano, nem em 2018. Ele avalia dar um tempo na política após concluir seu mandato.
Sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff em andamento, Pinheiro avisou a aliados que só tomará sua decisão, sem paixões, quando o caso chegar ao Senado.
Por Leandro Mazzini

A ordem do PMDB: abandono imediato

Do Coluna Esplanada
O PMDB terá um grande teste a partir de hoje, quando anuncia o seu rompimento com o Governo Dilma Rousseff: provar que não é fisiologista.
A ordem no partido, segundo um cacique, será a imediata entrega de cargos nos sete ministérios e nos segundo e terceiro escalões destas pastas – são quase mil vagas.
Ontem à noite o ministro do Turismo, Henrique Alves, foi o primeiro a pedir demissão.
O diretório de Minas Gerais decidiu aderir ao Comando Michel Temer. Apenas os diretórios de Sergipe, Alagoas e Amazonas estavam reticentes até ontem.
Até a última quarta-feira 'santa', Michel Temer, que pretende herdar o Governo em caso de impeachment, tinha só 12 dos 27 diretórios, mas deu uma guinada na quinta.
O efeito 'boiada' veio com a adesão do diretório do Rio de Janeiro ao Comando Temer. Foi fundamental para que executivas estaduais seguissem a onda. Detalhe, o PMDB do Rio sempre apoiou Aécio Neves desde o início da campanha presidencial em 2014, e seu expoente na Câmara hoje é Leonardo Picciani, que emplacou três ministérios nos últimos meses.
Alguns deputados criticam o apego ao cargo que o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, mantém. Ele é quem segurava o diretório amazonense pró-Dilma.

Paulista: A verdade sobre o 14º salário

O ACS (Agente Comunitário de Saúde) e os ASACE (Agente de Saúde Ambiental e Combate às Endemias) cujo perfil estiver enquadrado no que estabelece a Portaria 314/2014, tem direito ao Incentivo Financeiro Adicional, chamado de "14º salário", cujo repasse é feito pelo Governo Federal aos municípios, através do Ministério da Saúde.
Mesmo com a lei que garante o repasse nacional, denominado de "Piso Nacional," o incentivo continua sendo garantido e a categoria tem o direito de recebê-lo  uma vez por ano.
Os gestores que fazem esse repasse,  estão  atuando apenas como intermediários. Não estão sendo caridosos nem fazendo favor, estão cumprindo com sua obrigação.Esse incentivo não é conquista de Sindicatos nem de Associações.
Recentemente em Paulista, quando em cumprimento de sua obrigação, o prefeito foi muito aplaudido e  elogiado pelos que desconhecem seus direitos. Achando, por ter sido bastante propagado,  que esse era um mimo que o chefe do executivo estava lhes dando. 

28/03/2016

Se não houver traições, Dilma tem quase 200 votos em plenário


Por Leandro Mazzini
Neste momento – se não houver traições na votação, claro – a presidente Dilma Rousseff tem 191 votos para barrar seu processo de impeachment no plenário da Câmara dos Deputados.
A conta explica, em parte, o criterioso e cauteloso silêncio dos ministros Jaques Wagner (Gabinete) e Ricardo Berzoini (Governo) nos últimos dez dias.
Ela precisa de, no mínimo, 172 votos – que podem ser incrementados com abstenções ou ausências.
O desafio dos ministros palacianos será conter a debandada para o PMDB e em seguida o apetite do PP, PR, PSD. Haverá sete ministérios e mil cargos no balcão.

Ministro do Turismo pede demissão

Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN),ministro do Turismo, entregou no fim do dia uma carta à presidente Dilma Rousseff pedindo demissão do cargo.

Leia a carta:



Entrega de novo pedido de impeachment causa confusão na Câmara dos Deputados



À espera da chegada dos representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para protocolar um novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, grupos contrários e favoráveis ao afastamento da petista bateram boca e causaram confusão no movimentado Salão Verde da Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira (28).

De frente uns para os outros, os grupos trocaram ofensas com gritos de "golpistas" e "Fora, PT". A primeira manifestação do dia aconteceu no acesso entre o Anexo 2 da Casa, principal prédio do Congresso Nacional. Nela, deputados e senadores se revezaram em discursos contrários ao impedimento de Dilma.

No final da tarde, parlamentares de oposição também se reuniram no Salão Verde para rebater a manifestação dos militantes de esquerda, que acusavam a OAB de apoiar a ditadura, enquanto seus detratores gritavam "Lula é ladrão".  
A confusão paralisou totalmente os trabalhos da Câmara. A expectativa da OAB era protocolar o pedido na seção de protocolos da Casa para evitar encontro com o presidente Eduardo Cunha.
Do Último Segundo

Se Dilma for deposta, Temer será próximo a cair, diz líder do governo no Senado


O Estadão
Um dia antes da convenção do PMDB que decidirá pelo desembarque do partido do Executivo Federal, o líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), fez na tarde desta segunda-feira (28) um duro discurso da tribuna da Casa endereçado ao vice-presidente Michel Temer e avisou que, se a presidente Dilma Rousseff for deposta pelo impeachment "golpista", ele será "seguramente" o próximo a cair.
O petista avisou que "não haverá trégua a esse movimento golpista nem antes, nem depois, caso ele venha vergonhosamente a se materializar". "Não pense que os que hoje saem organizados para pedir 'Fora, Dilma' vão às ruas para dizer 'Fica, Temer', para defendê-lo. Não! Depois de arrancarem, com um golpe constitucional, a presidente da cadeira que ela conquistou pelo voto popular, essa gente vai para casa porque estará cumprida a sua vingança e porque não lhe tem apreço algum. E, seguramente, Vossa Excelência será o próximo a cair", declarou.

27/03/2016

Sangue na Lava Jato: agência atende Hemobrás, alvo de outra operação


Alvo da 26ª etapa da Operação Lava Jato, a agência de publicidade Arcos atende à Hemobrás, empresa de hemoderivados também enredada em outra operação da PF batizada de Pulso.
O contrato de R$ 10 milhões foi assinado em março de 2015.
Leandro Mazzini

Governo assume administração da Arena PE no dia 1º de abril


Do JC Online

Na tarde deste domingo, em entrevista à rádio Jornal, o Secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, confirmou que o governo do Estado assume a administração da Arena PE a partir do mês de abril.

“O procurador-geral do Estado, César Caúla, já informou que a partir do dia 1º de abril o governo assume definitivamente a Arena. A nossa intenção (do governo do Estado) é de buscar uma relação de proximidade com os clubes pernambucanos. O Náutico foi o primeiro clube que conversamos, afinal de contas, estava mandando todos os seus jogos na Arena e merecia uma atenção especial, mas estamos à disposição. O clube que quiser mandar um jogo ou vários jogos na Arena será bem-vindo”, explicou o secretário.

De acordo com Felipe Carreras, assim que a sua secretaria assumir formalmente a gestão da Arena, toda imprensa será comunicada sobre os seus objetivos e metas para o estádio localizado em São Lourenço da Mata, mas adiantou que pretende movimentar o local com diversos eventos atrativos.

"Assim que assumirmos a Arena PE, vamos mostrar quais serão os critérios adotados e as parcerias que serão feitas, para que possamos ter um calendário muito maior de jogos dos clubes pernambucanos e de outros clubes também. A intenção é que a Arena possa ser um grande espaço de entretenimento e ofereça um cardápio variado de eventos esportivos e atrações culturais, seja com eventos nacionais e internacionais também, para que todo pernambucano tenha orgulho desse equipamento que é do povo de Pernambuco”, finalizou Carreras. 

PMDB decide esta semana sobre permanência no governo

                   Votação do partido, presidido pelo vice-presidente Michel Temer, está marcada para esta terça / Foto: Arquivo/ Agência Brasil


Temer cancelou a viagem que faria a Lisboa nesta segunda-feira (28) a pedido de peemedebistas que querem que ele participe do processo de articulação da decisão da legenda

A dois dias da decisão do PMDB sobre a permanência na base aliada do governo da presidenta Dilma Rousseff, a tensão no cenário político aumenta e peemedebistas favoráveis e contrários ao rompimento tentam ganhar apoio em articulações de bastidores.

26/03/2016

Pai Uzêda, que alertou sobre Cunha: ‘A Besta agora é Dilma’

                                  Foto: Jornal de Brasília

Por Leandro Manzzini
Em tempos estranhos com nuvens sombrias que se forjam sobre o Congresso Nacional, voltou a circular nos corredores da Câmara dos Deputados nas últimas semanas o pai de santo conhecido como Roberval Uzêda.
O mesmo que fora expulso do Palácio do Planalto no início de 2015 ao alertar a presidente Dilma de que Eduardo Cunha era 'A Besta' e iria prejudicá-la. E acertou.
Questionado sobre o que há por vir, Pai Uzêda crava: “A besta agora é a Dilma''.

No PV, Alvaro não quer legalização de drogas e aborto no programa


Para ser candidato a presidente pelo Partido Verde em 2018, o senador Alvaro Dias, ex-PSDB, condicionou sua filiação à exclusão do apoio ao aborto e legalização das drogas do programa partidário.

Leandro Mazzini

“Situação está insustentável”, desabafa presidente do PP sobre Dilma


O Partido Progressista, que mantém o controle do Ministério da Integração Nacional, avalia desembarcar da base governista na esteira do PMDB.
“A situação está insustentável'', diz o presidente, senador Ciro Nogueira (PP-PI), que recebeu abaixo-assinado de 22 deputados e quatro senadores contra a aliança com o Governo.
O PP tem 49 deputados e seis senadores. Se o partido pular da base, Dilma perde importante contingente de votos quando seu processo chegar ao plenário.
Com o iminente desembarque do PMDB, o PT está ficando sozinho, ao lado de PCdoB.
Leandro Mazzini

Ex-marqueteiro do PT Duda Mendonça apoia Moro e Lava Jato


Do Coluna Esplanada
O publicitário Duda Mendonça, que tocou as duas vitoriosas campanhas de Luiz Inácio Lula da Silva ao Planalto, apoia o juiz federal Sérgio Moro as investigações da Lava Jato.
(Duda perdeu as campanhas de Dilma Rousseff para o marqueteiro e agora detento João Santana).
Duda nega que esteja dando consultoria a Dilma e Lula, segundo circula nas rodinhas do Poder.
Questionado pela Coluna, o baiano diz ser “uma loucura esse tipo de ilação''.
“Não faz o menor sentido. Tem muito tempo que não vejo o Lula e a Dilma. Sou a favor da Justiça, da Polícia Federal, pois eu quero o bem do Brasil''.

25/03/2016

A força da “Agenda 40”



Yves Ribeiro e Miguel Coelho têm feito uso da “Agenda 40” para impulsionar suas campanhas a prefeito de Igarassu e Petrolina, respectivamente. Ambos, que são filiados ao PSB, fazem reunião nos bairros para discutir com a população um programa de governo. 

Yves vai enfrentar Mário Ricardo (PTB), candidato à reeleição, ligado ao ministro Armando Monteiro. Já Miguel não sabe ainda se deve polarizar com Odacy Amorim (PT) ou o candidato do prefeito (?).

Da Coluna Fogo Cruzado

24/03/2016

Paulista: TCE nega recurso impetrado pelo vereador Tonico


Segundo o relatório, ainda no exercício financeiro de 2008, o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco - TCE/PE, fez uma auditoria na Câmara Municipal do Paulista para investigar irregularidades em seu quadro de pessoal. 

O relatório após a auditoria apontou como irregularidades a manutenção indevida de servidores materializada na permanência daqueles cujas admissões já tinham sido objeto de análise específico naquela corte, cujo julgamento terminativo foi pela irregularidade dos vínculos. Assim como, incorporações indevidas. 

O vereador Antonio José Lima Valpassos - Tonico , que na época era o presidente da Casa e ordenador de despesas, impetrou o recurso que lhe cabia.  No entanto, no último dia 09,  nos termos do voto oral do Conselheiro Relator ,o Tribunal Pleno à unanimidade , conheceu dos embargos apresentados, e no mérito, negou-lhes provimento. 












OAB oficializa na segunda pedido de impeachment de Dilma

Do Coluna Esplanada
Um dos principais protagonistas da abertura do processo de afastamento do ex-presidente Fernando Collor do Poder, o conselho federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) oficializa na próxima segunda-feira (28) o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), por crimes de responsabilidade.
A OAB vai protocolar o pedido na Câmara dos Deputados. Entre os motivos apresentados estão as 'pedaladas fiscais', a renúncia fiscal para a FIFA pela realização da Copa e a tentativa de blindar o ex-presidente Lula com foro privilegiado com prerrogativas de ministro.
O presidente da Ordem, Cláudio Lamachia, concluiu o documento nesta tarde de quarta-feira, e já convida os presidentes e representantes de todas as seccionais para Brasília.
Será um pedido próprio da OAB. Até hoje, havia uma dúvida no Conselho se a Ordem apresentaria um pedido ou se iria aderir ao processo já em curso, em tramitação na comissão especial instalada na Câmara.
No comunicado que já circula entre os presidentes das seccionais, o presidente Lamachia justifica a decisão do Conselho:
“Segundo os termos da decisão do Conselho Pleno tomada no último dia 18 de março, reconhecendo a prática de infrações político-administrativas ensejadoras de crimes de responsabilidade, a Diretoria do Conselho Federal da OAB decidiu promover o pedido de instauração de processo de impeachment da Presidente da República por intermédio do Presidente da Instituição, tendo em vista a reserva de legitimidade contida no art. 14 da Lei n. 1.079/50″.

23/03/2016

Documentos da Odebrecht listam mais de 200 políticos e valores recebidos


Documentos apreendidos pela Polícia Federal listam possíveis repasses da Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 partidos políticos. É o mais completo acervo do que pode ser a contabilidade paralela descoberta e revelada ontem (22.mar.2016) pela força-tarefa da Operação Lava Jato.
As planilhas estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, e conhecido no mundo empresarial como “BJ''. Foram apreendidas na 23ª fase da operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”, realizada no dia 22.fev.2016.
Como eram de uma operação de 1 mês atrás e só foram divulgados públicos ontem (22.mar) pelo juiz federal Sérgio Moro, os documentos acabaram não sendo mencionados no noticiário sobre a Lava Jato.
As planilhas são riquíssimas em detalhes –embora os nomes dos políticos e os valores relacionados não devam ser automaticamente ser considerados como prova de que houve dinheiro de caixa 2 da empreiteira para os citados. São indícios que serão esclarecidos no curso das investigações da Lava Jato.
Os documentos relacionam nomes da oposição e do governo: são mencionados, por exemplo, Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Campos (PSB), morto em 2014, entre vários outros.
Click neste link e saiba tudo:

22/03/2016

Senado aprova projeto de bispo que isenta templos religiosos de pagar IPTU


Da Agência Senado
O Senado aprovou nesta terça-feira (22), em segundo turno, a proposta de emenda à Constituição (PEC) que isenta as igrejas e templos religiosos em imóveis alugados de pagar o Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana (IPTU).
A votação em primeiro turno ocorreu na semana passada, mas a sessão foi interrompida logo em seguida por causa da divulgação dos grampos telefônicos com autorização judicial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que causaram imediata repercussão no Senado.
A PEC estende para os templos em imóveis alugados um benefício do qual já gozam as igrejas que têm imóveis próprios. Embora a Constituição estabeleça que os templos religiosos não devam pagar o imposto, ainda havia divergência se, em casos de imóveis alugados, quando os locatários são responsáveis pelo pagamento do IPTU, a regra também era válida.

Mendonça tem que entregar os cargos

                          
Em carta enviada ao blogueiro Magno Martins, do Blog do Magno, o deputado Rodrigo Novaes - PSD, diz que o deputado Mendonça Filho tem que entregar os cargos que possui no governo de Paulo Câmara -PSB.

“Caro Magno,
Respeito muito o deputado Mendonça Filho, sua atuação destacada na Câmara dos Deputados e sua trajetória em defesa de nosso estado. Mas venho registar minha incompreensão em relação à posição do deputado diante do conjunto de forças que integram a Frente Popular.
Minha colega Priscila Krause, do DEM, partido presidido pelo deputado, divulgou essa semana sua pretensão de disputar a eleição para prefeitura do Recife. Nada – absolutamente nada – contra sua vontade! A deputada nunca escondeu de ninguém seu projeto.
O que me chama atenção na verdade é a posição do presidente do DEM, que entregou os cargos que o partido tem na prefeitura, mas defende que deve continuar com participação no governo do estado (LAFEPE), "porque foi aliado de primeira hora da candidatura do governador Paulo Câmara".
Há uma compreensão equivocada sobre a participação de partidos dentro de um governo.
A composição dos espaços deve se dar por aliados que admitem a liderança do governador e que, por corolário, sabem a importância da continuidade do projeto do prefeito Geraldo Júlio para o Recife e para a frente.
O PSB encabeça o projeto que acreditamos, sob liderança do governador Paulo Câmara. A posição do DEM compromete a sintonia e promove fragmentação da frente.
Mais ainda porque a candidatura de Priscila cumpre papel oposicionista e o deputado Mendonca estará em seu palanque. A coerência de nossos atos deve se sobressair ao pragmatismo.
Participamos de um governo quando acreditamos, confiamos e respeitamos a condução de seus destinos.
Rodrigo Novaes, deputado estadual pelo PSD”.

21/03/2016

Deputado quer pílula anti-câncer fabricada pela Marinha

A famosa pílula anti-câncer criada por um cientista professor da USP-São Carlos, combatida pela grande indústria farmacêutica, pode ser fabricada em série se aprovada.
O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) fez contatos sondando diretores do renomado Laboratório Farmacêutico da Marinha do Brasil com ideia para produzi-la. Na visão do parlamentar, seria possível a comercialização a R$ 0,50 a unidade – para desespero da indústria farmacêutica que lucra bilhões de reais com medicamentos caros na praça.
Na semana passada, o Ministério da Ciência e Tecnologia divulgou resultado de estudos que indicam ineficácia da pílula criada na USP. -Do Coluna Esplanada-

Raquel Lyra diz que foi “tirada” do PSB


                         
Na primeira sessão plenária depois de ter ingressado no PSDB, a deputada estadual Raquel Lyra falou sobre sua traumática saída do PSB. Em seu discurso, a parlamentar relembrou seu histórico dentro do antigo partido e o processo de saída, para poder disputar à Prefeitura de Caruaru, no Agreste.
“Eu não saí do PSB. Me tiraram de lá”, disparou a parlamentar, na primeira frase de seu discurso. Raquel afirmou, ainda, que expressou sua “perplexidade ao governador (Paulo Câmara) por ter sido praticamente expulsa”.
Após seu discurso, fizeram aparte os deputados estaduais Silvio Costa Filho (PTB), Miguel Coelho (PSB) e Lucas Ramos (PSB). Ainda devem falar Priscila Krause (DEM), Teresa Leitão (PT) e Antônio Moraes (PSDB).
Blog da Folha

20/03/2016

PSL sob novo comando em Paulista



O Partido Social Liberal - PSL do município do Paulista, a partir de hoje, 20, encontra-se  sob novo comando. Após ser convidado pelo deputado Beto Accioly que comanda a sigla no estado e pelo presidente nacional , Luciano Bivar, o ex PT do B, capitão Edson Benjoino, resolveu aceitar a tarefa e promete dar uma repaginada no partido.

O representante da sigla na Casa de Torres Galvão , vereador Pedro Marinho, deverá migrar para outra legenda.


Nas mãos de Sérgio Moro, Lula agora só articula se manter solto

Lula Fernando Donasci


Do JC Negócios
Animal político, o ex-presidente Lula sabe que nessa atividade o tempo é fundamento no jogo. Como no Eclesiastes (3:1,2) onde se diz que: para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu; tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou.
Perder tempo é perder o bonde da História. Por isso ele sabe melhor que ninguém que errou no tempo político para ajudar a presidente Dilma Rousseff o que, por consequência seria ajudar a manter o seu próprio legado. Sem Lula, não existiria Dilma, mas sem Dilma no lugar que ele a colocou tudo que construiu em 45 anos de luta agora corre o risco de ser perdido.
O ex-presidente pode reconhecer isso hoje, mas o fato já não tem qualquer importância. A quimera de voltar ao Palácio do Planalto e salvar o seu legado passou do tempo. Hoje, o que preocupa Lula não é como vai iniciar sua missão de articulador político para salvar Dilma do Impeachment que aparece no horizonte como um fato se fazendo cada vez mais real. É saber como terá que agir para não perder uma coisa básica para qualquer cidadão comum: a liberdade.
Nas mãos de Sérgio Moro – por ordem do ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal – Lula sabe que a missão que Dilma deu de salvar o seu governo perdeu qualquer condição de ser desenvolvida. Dilma chamou Lula, não só porque temia que ele fosse preso por uma ordem da 13ª Vara Federal de Curitiba. Chamou Lula para ele articular uma conversa no Congresso que matasse a ideia de um impedimento de seu governo já no nascedouro.
Mas, hoje, Lula conversa com “fé de oficio” com quem? Quem na República está interessado em lhe dar credito? E, no exercício da missão, pode entregar o que? E quando diz falar em nome do Governo de Dilma Rousseff, tem mesmo essa prerrogativa? Bom, legalmente não, embora ele até possa achar que sim. E até que acredite ser capaz de ser ouvido por interlocutores credenciados. Precisa pensar assim para sair de casa.
O problema é que, de novo, nas mãos de Sérgio Moro, embora o Governo tente de todas as formas lhe devolver o foro privilegiado que tanta confusão causou na semana que acaba neste sábado, Lula sabe que a partir de hoje pode ser preso a qualquer momento.
Do ponto de vista político, e para a sua base, talvez até veja numa eventual prisão a fagulha que permita ao PT e seus apoiadores voltarem as ruas furiosamente. Poderia, para sua militância, ao menos dizer que é o primeiro preso político após as Constituição de 1988. Mas quem sabe o que se passa na cabe do juiz da Lava Jato?
Entretanto, o que lhe angustia é a possibilidade de não ser preso. De, a partir de hoje, ter que andar com essa insegurança. De saber que, até que o plenário do Supremo diga que ele tem direito a ser julgado pela corte suprema revertendo a decisão do ministro Gilmar Mendes, uma equipe da Polícia Federal poderá lhe conduzir até Curitiba onde estiver.
Então o problema de Lula hoje, não é ser preso, mas não ser preso. A sua liberdade integral foi para o espaço assim como sua missão de coordenador político de Dilma.
E essa situação devolve o problema para o Palácio do Planalto pois se Lula, sub ameaça de prisão, não pode garantir nem a sua liberdade física o que poderá prometer aos seus interlocutores?  Ou de uma forma mais dura: Sem ser ministro e com a espada da Justiça sobre sua cabeça, Lula serve de que para Dilma e seu governo?
Dilma, Lula, seus ministros sabem, que o Judiciário virou adversário. A suprema corte dificilmente lhe acolherá depois dos fatos revelados (seletivamente ou não) e as demais instâncias, conectadas com a voz das ruas. todas estão dia-a-dia lhe barrando os argumentos.
A indignação dos juízes do STF sinalizou para os demais juízes uma ordem de “Basta!”. De se posicionar, nos autos, de forma dura contra as manobras e tentativas desesperadas.
De certa forma Dilma e Lula acabaram levando para dentro do governo a indignação da sociedade contra os que roubaram na Lava Jato. Exatamente o que governo, de forma mais ampla, sempre temeu  por dois anos e tentou evitar. Ou como se diz na torcida do Corinthians: Agora é nos!
Tem mais: As revelações das gravações de seus diálogos pelo juiz Moro expuseram um Lula que está a quilômetros da personalidade descrita da Carta Aberta que divulgou e que, certamente, não tem uma só palavra colocada por ele no texto.
Certo, pode mesmo ser a confirmação de que já pensam os 47% que votaram contra Dilma em outubro de 2014. Mas é muito sofrida para os 53% que, por Lula, deram a ela um novo governo.
Suas falas, o comportamento, o desprezo para com os seus e com os que lhe protegem e, o mais grave, com as instituições obrigaram as seus amigos e companheiros a construção de um discurso intelectual que, internamente, causaram muito sofrimento aos militantes.
É imaginável para quem sempre viu em Lula a última barreira do PT (cuja elite está no presidio da Paupuda condenada como ladrão e corrupto) ter que justificar em público um discurso em sua defesa. Não há mais o que defender do líder carismático que operou a maior revolução social deste país.
Só resta se agarrar em sofismas e evidenciar como essencial aspectos jurídicos. É preciso ao menos manter uma defesa. O Lula que fala de uma celular pré-pago da Claro sem qualquer sinal de respeito especialmente  para com os seus, não é Lula que todos os que o defendem construíram no seu imaginário ao longo de anos. Mas há que seguir com o sonho do ideal do PT de raiz.
Até para não perder a razão de viver.

Sem Geraldo Júlio reeleito, PSB implode antes de 2018


paulo e geraldo


Apesar da aparente tranquilidade, exposta na publicidade oficial do partido no rádio e TV e ainda nos outdoors comemorando as conquistas da gestão, o PSB de Pernambuco vive o seu momento mais crítico em termos de perspectiva de poder a ponto de ancorar na reeleição do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, todo seu futuro.
Geraldo Júlio virou “Prioridade Um” para a agremiação. E isso vai do governador Paulo Câmara aos vereadores da Câmara do Recife. Reeleger o prefeito é a senha para o PSB se reinventar como partido sem Eduardo Campos.
Geraldo Júlio tem, naturalmente, as maiores chances no pleito de 3 de outubro. Está no cargo, tem uma bancada de quase 90% dos vereadores e uma coligação de deve gerar pelo menos 500 candidatos pedindo votos para ele.
Tem ainda o apoio integral do governador que, apesar das dificuldades, tem ajudado-o com verbas como no inusitado caso do repasse de R$ 10,54 milhões à Prefeitura do Recife, referente à quitação de débitos com a Taxa de Limpeza Pública (TLP) devida por 89 imóveis do Estado, datados desde 1979. Ou da transferência direta de verbas do FEM para que ele conclua, até maio, o Hospital da Mulher cujo projeto pronto e acabado, Eduardo Campos lhe presenteou no dia da posse em 2013. Ou seja, teoricamente, Geraldo só pode perder para ele mesmo. E é aí que mora o perigo.
Assim como Paulo Câmara, Geraldo Júlio sem Eduardo Campos dificilmente venceria uma eleição de síndico do prédio onde mora. Eles estão nos cargos que ocupam pelas mãos e ações – no caso de Geraldo Júlio – e pelo tributo (no caso de Paulo) a Eduardo Campos, após sua morte meses antes da eleição de 2015. Os dois sabem disso, e não escondem de ninguém, que Eduardo Campos não era apena seu líder, mas sua razão de existência como entes políticos que os escolheu a dedo para os dois cargos.
O problema é que Eduardo Campos já não está entre nós. E a tragédia do dia 13 de agosto de 2014 não deixou só Geraldo Júlio e Paulo Câmara órfãos politicamente. Deixou o PSB sem um comando efetivo e inquestionável. Claro que, institucionalmente, o líder maior é o governador. Claro que o partido com a quantidade de deputados eleitos e o controle absoluto na Assembleia Legislativa é a grande força política. Mas, sem Eduardo…
E é por isso que o PSB precisa reeleger Geraldo Júlio. Porque, se a conta desse poder for feita ao contrário, é fácil observar que fora da Prefeitura do Recife, o PSB corre o risco de não ter força política para reeleger, também, Paulo Câmara se ele decidir disputar em 2018.
Isso transformou a eleição, a reeleição de Geraldo Júlio, no único objetivo que interessa ao PSB. E para isso o partido vai fazer o que for necessário. De juntar num chapão todos os vereadores do Recife, os novatos e postulantes eternos e quem aparecer. E tentar costurar apoio partidários com quem aparecer interessado em colocar mais votos para o prefeito.
O prefeito e o PSB, aliás, sonham inclusive fechar acordo com as direções nacionais dos grandes partidos abrindo mão de cidades importantes desde que eles assegurem que, no Recife, Geraldo terá pista limpa. As conversas com Carlos Lupi, do PDT, mostram esse esforço. O problema é que Lupi é conhecido por um “hay gobierno, soy a favor” e o PSB, em nível nacional, é oposição. Mas, o prefeito e o PSB acreditam nele.
É claro que isso nem sempre funciona. Nunca funcionou, pois, quem decide é o diretório municipal e sempre tem um jeito do sujeito montar uma chapa à revelia do comando nacional ou estadual. O lançamento de Priscila Krause mostra claramente que a tendência é Geraldo enfrentar uma “requinha” de candidatos. Mas, o PSB acha que pode juntar todos numa chapa para eleger Geraldo no primeiro turno.
Tomemos outros exemplos: O PSDB nacional vai impedir que Daniel Coelho seja candidato? Claro que não. O PTB, que viu Silvio Costa Filho sair para o PRB, não vai ter candidato? Claro que sim. Tanto que, para não ir ao confronto, abriu a porta para Silvinho ir para junto do pastor Ossesio Silva o que, de cara, lhe assegura mais tempo na TV.
Da mesma forma que o DEM nunca iria proibir Priscila Krause de registrar uma chapa. É diferente de uma campanha nacional que o dono do partido possa fazer o que Eduardo Campos fez com Ciro Gomes em 2009. Mas, no município é diferente. Então, se qualquer cabo eleitoral faz essa conta, imagina os caciques do PSDB, do PTB de Armando Neto?  E é por isso que o PSB entrou na de eleger Geraldo Júlio antes do jogo começar e tentar segurar seus pintos no cercado do galinheiro.
O problema é que Geraldo terá que se provar. De início não terá Eduardo Campos dizendo que “ele fez”. Depois não terá o volume de dinheiro que Eduardo tinha, já pensando no projeto nacional. Finalmente, terá o histórico do que “não fez” do seu programa.
Naturalmente, ele está fazendo o que pode. Vai de solenidade de projeto em Fernando de Noronha a evento de adutora da Compesa no interior. De aumento de linhas da Azul a qualquer solenidade no Palácio do Campo das Princesas. Ele vai aparecer junto de Paulo Câmara até em obra que não põe um tostão, como a conclusão do projeto Cais do Sertão. Da mesma forma que Paulo o prestigia com tudo que for possível. Mas, todo mundo no PSB sabe que chegou a hora de Geraldo dizer que é Geraldo.
E ele, melhor do que ninguém, sabe que ele é quem vai ser julgado. Não existe mais o débito do eleitor para com Eduardo Campos. Aliás, nem com Paulo Câmara. Ele terá que se vender com um Compaz, o Hospital da Mulher, a duplicação da Via Mangue, suas Upinhas e aguentar a cobrança do que não teve como fazer. Ah, e explicar todos os projetos que deram problemas do Governo do Estado no tempo em que era o secretário que, como disse Eduardo Campos, foi ele quem fez.
Seus adversários sabem disso melhor que ele próprio. E ao contrário do que ele deseja, terá que enfrentar vários candidatos, inclusive, gente como Priscila Krause que se revelou na Câmara Municipal e na Assembleia uma adversária consistente, seja pela capacidade intelectual, seja pela capacidade de produzir informações críticas, seja por de ser o fato novo no próximo pleito. Isso sem falar de ser a única mulher (se Carlos Lupi barrar mesmo a candidatura de Isabella de Roldão) a enfrentar um grupo de candidatos homens.
O PSB sabe que precisará trabalhar duro para aplainar o terreno para o prefeito. E sabendo que esse negócio de reeleição é um problema para qualquer candidato que não tem pelo menos 70% de aprovação já na partida, de forma que tenha gordura para ir perdendo no decorrer da campanha. Bom, Geraldo Júlio garante que 85% dos recifenses aprovam sua administração, de forma que o PSB (teoricamente) vai poder trabalhar com mais tranquilidade.
Mas, sabendo que se, Geraldo não se provar bom de voto, secretários que pensam serem deputados federais e até senadores passam a correr sérios riscos no pleito de 2018 e até mesmo, Paulo Câmara.

Por Fernando Castilho/JC Negócios