05/04/2018

ALEMÃO É O NOVO PRESIDENTE DO PSDB EM PAULISTA



Com a saída do deputado federal Daniel Coelho do PSDB, a presidência da sigla na cidade do Paulista, que era ocupada por membros de seu grupo político, ficará a partir de ontem (04) sob a batuta do vereador Alemão César que foi eleito pela legenda, com 4.546 votos, em outubro de 2016.

O  deputado federal Bruno Araújo que tem o domínio do partido  no estado, usou seu amigo ex-prefeito do Paulista Duffles Pires para consolidar o fato.

20/03/2018

JUNIOR MATUTO E JORGE CARREIRO NA MIRA DO TSE



O Tribunal Superior Eleitoral deverá votar, em breve, os processos que resultarão em possível cassação de prefeitos e governadores que cometeram irregularidades nas eleições 2016.

Dentre esses, está o prefeito do Paulista (RMR) Junior Matuto (PSB) e seu vice Jorge Carreiro (PTB). A chapa é acusada pelo juiz Leonardo Asfora , por abuso de poder econômico durante a campanha para prefeito da cidade nas últimas eleições. 

Se a cassação ocorrer, além de perder o mandato a dupla ficará inelegível por oito anos, frustando assim, os planos de Carreiro que já está em pré-campanha para deputado federal.

26/12/2017

PAULISTA: PROGRAMA "NOSSO CHÃO" SEGUE SUSPENSO



O Tribunal de Justiça de Pernambuco manteve, em caráter liminar, a suspensão do programa Nosso Chão, do município do Paulista. Dessa maneira, segue o entendimento defendido pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) de que o programa de regularização fundiária não atende às exigências legais mínimas do Estatuto da Cidade.

“A empresa Consultoria e Legalização Fundiária (CLF), indicada pelo prefeito do Paulista Júnior Matuto para fazer o trabalho de regular a posse e registro dos terrenos, fechou a sua sede na cidade. Desde então, os moradores que aderiram ao programa estão procurando o MPPE para saber se o dinheiro que foi pago por eles será devolvido e se está explicando a todos que isso só será decidido quando a Justiça apreciar a ação civil em curso na Vara da Fazenda Pública. O que nós estamos recomendando a todos é que, independentemente de haver processo judicial, nada impede que os moradores se dirijam à Prefeitura do Paulista, a fim de buscar junto ao prefeito Júnior Matuto(PSB) uma solução administrativa, que seja mais rápida e eficaz”, aconselhou 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania, com atuação na Defesa do Patrimônio Público do Paulista, Maria Aparecida Barreto da Silva.

Ainda segunda a promotora, a política pública de regularização fundiária é poder-dever do município, a quem cabe legalizar as ocupações/posses clandestinas em benefício, sobretudo, da população de baixa renda, assegurando a essas pessoas o direito à moradia, o acesso ao saneamento, pavimentação, iluminação pública, abertura de ruas e urbanização.

“No Paulista, a regularização fundiária se apresenta como política vital e urgente, visto que a comunidade há anos vem sendo obrigada a desocupar seus imóveis. Muitos moradores fixaram residência há mais de 30 anos mas continuam a ser vítimas de um pânico coletivo de despejos”, detalhou Maria Aparecida Barreto.

Por meio da ação, o MPPE requer a condenação do município do Paulista para que seja decretada a extinção do programa Nosso Chão; determinado à CLF a restituição aos aderentes/consumidores de todos os valores pagos a esta empresa em virtude do programa; a procedência do pedido de desconsideração da pessoa jurídica. O MPPE requer também a condenação ao ressarcimento dos danos efetivos suportados pelo município do Paulista, bem como às sanções decorrentes da agressão aos princípios da Administração Pública, conforme a prescrições dos artigos 10, 11 e 12 da Lei n°8.429/92.

Entenda o caso – Em fevereiro deste ano, o MPPE, por meio das 2ª, 4ª e 6ª Promotorias de Justiça do Paulista (promotores Maria Aparecida Barreto, Mirela Laupman e Romualdo França) ajuizou ação civil em defesa da ordem urbanística, da probidade administrativa e dos direitos do consumidor, com ressarcimento de danos em face do município do Paulista, CLF-ME Ltda, Gilberto Feitosa Júnior (atual prefeito Júnior Matuto), chefe de gabinete Francisco Padilha, ex-secretário de Desenvolvimento Urbano João Luiz da Silva Júnior, Paulo Morais e Glauco Gonçalves, bem como as associações de moradores do Fragoso e Conceição e o ex-vereador Edson Carneiro.

Fonte: Comunicacão/Notícias

11/12/2017

EM PERNAMBUCO, OPOSIÇÃO A PAULO CÂMARA SE ARTICULA



Com o slogan " PERNAMBUCO QUER MUDAR " , um grupo formado por lideranças de vários partidos , que se opõem ao governo de Paulo Câmara (PSB), se reunirá hoje (11), às 17 horas no espaço de eventos Arcádia Recepções - Paço Alfândega. 

O objetivo do grupo, composto por Fernando Bezerra Coelho (PMDB), Bruno Araújo (PSDB), Armando Monteiro (PTB), João Lyra (PSDB), Joaquim Francisco (PSDB) e Mendonça Filho (DEM),  dentre outros é: discutir os problemas enfrentados por Pernambuco e as mudanças cabíveis.

24/11/2017

O JOGO DE 2020 JÁ ESTÁ NA MESA


Enquanto as eleições 2018 ainda não estão definidas, com relação à candidaturas majoritárias, em Paulista, cidade da região metropolitana do Recife, grupos já se movimentam visando as de 2020, onde os eleitores terão que escolher seus candidatos a governador, prefeito e vereadores. 

Pensando nisso, algumas lideranças já começam a se movimentar e, o que se comenta na cidade, é que o ex-vice prefeito Duffles Pires (PR) tem o desejo de ser candidato ao executivo , em substituição a Junior Matuto (PSB) que administra a cidade num segundo mandato.

Em sintonia com o projeto de Duffles, estão o vereador Tonico Valpassos (PCdoB) e o ex-prefeito Yves Ribeiro (PSB) . Esse último, dizem que pretende concorrer,  pelo município de Goiana, ao cargo de prefeito.

10/11/2017

DEGRADAÇÃO AMBIENTAL EM PAULISTA


Com anuência da Prefeitura de Paulista, fragmento de Mata Atlântica é devastado na APA ALDEIA BEBERIBE.
Crime Ambiental provoca devastação de Mata Atlântica na APA ALDEIA BEBERIBE e ameaça de morte o Rio Cova da Onça, tributário do Rio Paratibe.
A Prefeitura de Paulista concedeu Licença Ambiental de Operação para Extração Mineral de Areia por Dragagem no território da Unidade de Conservação, desrespeitando o Plano de Manejo da UC que determina explicitamente a proibição de extração mineral em seu território, exceto para água mineral.
O Fórum Socioambiental de Aldeia recebeu a denúncia feita por moradores de Aldeia e encaminhou a CPRH.
No mesmo dia, na sexta-feira, 27/10/2017, uma equipe de fiscalização da CPRH esteve no local e determinou a suspensão das atividades de mineração através de auto de infração fundamentado em três irregularidades:
1. Degradação Ambiental
2. Inobservância de preceitos legais ambientais
3. Desobediência às determinações de caráter normativo
Estaremos acompanhando o desdobramento das ações do órgão ambiental do estado nesse caso, as punições impostas aos agressores, as ações compensatórias e de recuperação da área degrada.

Fonte: Fórum Socioambiental de Aldeia

09/11/2017

EM PERNAMBUCO, POLÍCIA FEDERAL DESCOBRE ESQUEMA DE FRAUDE EM LICITAÇÃO E DESVIO DE VERBAS

Resultado de imagem para ROMERO PONTUAL COM EDUARDO CAMPOS


A Polícia Federal, em Pernambuco, deflagrou hoje, juntamente com a Controladoria Geral da União e o Ministério Público Federal, a "Operação Torrentes", visando desarticular um gigantesco esquema criminoso montado por servidores públicos vinculados à Casa Militar do governo do Estado de Pernambuco, juntamente com empresários para os quais teriam sido repassados, segundo levantamentos feitos pela Controladoria Geral da União, R$ 450 milhões referentes a apenas 15 contratos para socorro às vítimas das enchentes ocorridas nos anos de 2010 e 2017.

Ainda segundo levantamento da CGU, o Estado de Pernambuco chegou a receber R$ 2,9 bilhões em repasses federais apenas para realizar o socorro às vítimas das enchentes e cujos contratos serão todos investigados. 

De acordo com a Polícia Federal, que utilizou 260 policiais federais arregimentados em dez Estados diferentes da Federação para cumprir os 71 mandados de prisão temporária, condução coercitiva e buscas e apreensões em órgãos públicos e nas empresas envolvidas no esquema,  os R$ 450 milhões pagos aos empresários Ricardo Padilha Carício, Rogério Fabrício de Roque Neiva, Romero Fittipaldi Pontual (CEASA) e Antônio Manuel de Andrade Júnior são referentes apenas a contratos para fornecimento de filtros, colchões, lonas, água mineral, transporte e gêneros alimentícios, não incluindo as obras que serão ainda alvo de outras investigações.

A Polícia Federal e a CGU revelaram, em entrevista concedida hoje, pela manhã, que o governo de Pernambuco não atendeu às solicitações para que fossem fornecidas cópias dos processos licitatórios, gerando, inclusive a desconfiança de que muitos contratos foram feitos sem qualquer processo formal de licitação, já que foram constatadas situações em que primeiro o contrato era assinado para somente depois serem montados de maneira forjada, os respectivos processos licitatórios. Fontes da Polícia Federal que fizeram parte das investigações chegaram a revelar que as fraudes são tão grotescas que saltam aos olhos até para pessoas leigas.

Além do superfaturamento e das fraudes nas licitações feitas de maneira "grotesca", a Polícia Federal constatou por meio da quebra de sigilo bancário de alguns dos investigados o pagamento de propina a servidores para os quais as empresas investigadas transferiram recursos inclusive por meio de "empréstimos" simulados ou mesmo diretamente, por transferência bancária.

A Polícia Federal dividiu o esquema criminoso em cinco grupos distintos: um formado pelos militares responsáveis pelos contratos e outros quatro formados pelos empresários beneficiários do esquema.

Do Núcleo Militar foram presos temporariamente o Coronel Fábio Rosendo de Alcântara e o Tenente Coronel e conduzidos coercitivamente os Coroneis Mário Cavalcanti, Roberto Gomes de Mello Filho e Waldemir José de Vasconcelos Araújo.

A condução coercitiva do Coronel Mário Cavalcanti, que há pouco tempo atuou como interventor no Município de Gravatá foi pedida pelo Ministério Público Federal. Segundo nossas fontes, o Coronel despertou a desconfiança tanto da Polícia Federal, quanto do MPF, ao promover reunião com os investigados tão logo a Polícia Federal deflagrou a Operação Mata Norte, que revelou que o empresário Ricardo Padilha comandava uma rede de empresas "laranjas" para fraudar licitações para fornecimento de merenda escolar para diversos Municípios e para órgãos do Estado de Pernambuco. Conforme nosso Blog revelou, em primeira mão, só com a Casa Militar, as empresas de Ricardo Padilha, preso na Operação Mata Norte e na Operação de hoje, teriam contratos superiores a R$ 40 milhões, justamente para o fornecimento de filtros, transporte e armazenamento, água mineral, dentre outros, destinados às vítimas das cheias (Leia em EMPRESAS INVESTIGADAS PELA POLÍCIA FEDERAL NA OPERAÇÃO "MATA NORTE" POR FRAUDES EM LICITAÇÕES DA MERENDA TÊM CONTRATOS MILIONÁRIOS SEM LICITAÇÃO COM SECRETARIAS ESTADUAIS LIGADAS À SEGURANÇA PÚBLICA E À RESSOCIALIZAÇÃO DE PRESOS E MENORES e EMPRESA ALVO DA OPERAÇÃO "MATA NORTE" DA PF CONTRA FRAUDES EM LICITAÇÕES DA MERENDA ESCOLAR RECEBEU MAIS DE R$ 40 MILHÕES DO GOVERNO DE PERNAMBUCO justamente os que foram alvo da Operação de hoje da Polícia Federal.

Além disso, de acordo com a Polícia Federal, dois dias antes das eleições de 2014, no dia 03 de outubro, foi realizado um saque de R$ 2 milhões de uma conta da empresa FJW, empresa de Ricardo Padilha, por uma pessoa de nome Ewerton Soares da Silva, que, por sua vez, teria entregado o dinheiro ao Coronel da PM Roberto Gomes Filho, cujo celular, ao ser rastreado pela Polícia Federal, revelou que teria levado os recursos à sede do PSB - Partido Socialista Brasileiro. O Coronel Mário Cavalcanti era o coordenador financeiro da campanha de Paulo Câmara ao governo de Pernambuco.

Como a Justiça levantou o sigilo da Operação, a Polícia Federal pode divulgar todos os alvos, cujos Núcleos Empresariais eram comandados por Romero Pontual (conduzido coercitivamente), Antônio Manoel de Andrade Filho (preso temporariamente), Ricardo Padilha (preso temporariamente) e Rogério Fabrízio Neiva (conduzido coercitivamente.

LEIA A LISTA DE ALVOS NA ÍNTEGRA:  


PRESOS E CONDUZIDOS MILITARES:
1. Fábio de Alcântara Rosendo – CEL/PM – Prisão Temporária;
2. Laurinaldo Félix do Nascimento – TC/PM – Prisão Temporária;
3. Roberto Gomes de Melo Filho – CEL/PM – Prisão Temporária;
4. Waldemir José Vasconcelos de Araújo – CEL/PM- aposentado – Prisão Temporária;
5. Carlos Alberto de Albuquerque Maranhão Filho – CEL/PM – Condução Coercitiva;
6. Jair Carneiro Leão – CEL/PM – Condução Coercitiva;
7. Rolney Feitosa de Souza – CAP/PM – Condução Coercitiva;
8. Mário Cavalcanti de Albuquerque –CEL/PM – Condução Coercitiva;
9. Adauto Chaves da Cruz Gouveia Filho – PM/PE – aposentado – Condução Coercitiva;
10. Patrese Pinto e Silva – SD/PM – Condução Coercitiva;
11. Emmanoel Feliciano Ribeiro-Condução Coercitiva

CIVIS PRESOS:
1. Antonio Manoel de Andrade Junior- Prisão Temporária;
2. Heverton Soares da Silva- Prisão Temporária;
3. Ítalo Henrique Silva Jaques-Prisão Temporária;
4. Ricardo José de Padilha Carício-Prisão Temporária
5. Rafaela Carrazzone da Cruz Gouveia Padilha-Prisão Temporária
6. Roseane Santos de Andrade-Prisão Temporária
7. Daniel Pereira da Costa Lucas-Prisão Temporária
8. Taciana Santos Costa-Prisão Temporária
9. Ricardo Henrique Reis dos Santos-Prisão Temporária
10. João Henrique dos Santos-Prisão Temporária
11. Antonio Trajano da Rocha Neto-Prisão Temporária
12. Karina Carrazzonne Pacífico da Rocha-Condução Coercitiva;
13. Diego César Silva Jaques-Condução Coercitiva
14. Rogério Fabrízio Roque Neiva-Condução Coercitiva
15. Josileide Gomes Neiva-Condução Coercitiva
16. Romero Fittipaldi Pontual- Condução Coercitiva
17. Diego Renato Carneiro de Andrade- Condução Coercitiva
18. Elza Maria José de Santana-Condução Coercitiva
19. Sybelle Maria de Araújo Lima-Condução Coercitiva
20. Wagner Belizário da Silva- Condução Coercitiva
21. Adriana Padilha Carício Montenegro-Condução Coercitiva
22. Tertuliano de Oliveira Montenegro-Condução Coercitiva
23. Mário Cavalcanti de Albuquerque-Condução Coercitiva
24. José Walter Alves Ferreira-Condução Coercitiva
25. Adauto Chaves da Cruz Gouveia Filho-Condução Coercitiva
26. Patrese Pinto e Silva-Condução Coercitiva
27. Tiago Augusto Silva Jaques-Condução Coercitiva (Pará)


EMPRESAS – BUSCAS E APREENSÃO:
1. Casa Militar;
2. CEASA;
3. DTI;
4. FJW;
5. Regente Empresarial;
6. JLPM;
7. DTI Soluções Empresariais/Project Comercial Eireli;
8. Megabag Indústria de Bolsas Ltda;
9. T&R Comercio de Artigos de Confecção Ltda;
10. AM Júnior Comércio de Artigos de Couro Ltda;
11. Escritório de Contabilidade de Elza Maria José de Santana;
12. CODECIPE;
13. Depósito DTI – Soluções empresariais;


Blog da Noelia Brito 
http://noeliabritoblog.blogspot.com.br/